No post de hoje eu quero desabafar e bater um papo com você sobre como temos exercido o papel que Cristo nos deu (de sermos exemplo do Evangelho). Temos feito da Casa do Senhor de Enfermaria ou de “Julgatório”?

 

Veja o que você vai encontrar nesse post:

  • Insight 1 – Deus nos deu um grande papel;
  • Insight 2 – O maior exemplo que Cristo nos deixou;
  • Insight 3 – A mulher adúltera e a manifestação do amor;
  • Insight 4 – Quando o lugar passa de Enfermaria para Julgatório;
  • Insight 5 – Um dos papéis mais desafiadores: Amar nossos inimigos;
  • Conclusão.

Insight 1 – Deus nos deu um grande papel

o-papel-que-cristo-nos-deu

Primeiro, eu inventei a palavra julgatório. O sufixo “tório” forma nomes de lugar, depositório. 

Então, não se assuste com essa palavra, mas creio que você deve tê-la entendido.

Bem, vamos ao que interessa! Se você nasceu no berço evangélico, talvez, não se incluirá no que irei dizer: todos nós fomos resgatados pelo amor de Cristo um dia, todos nós estávamos em escuridão e a Luz de Cristo clareou nossos olhos. Somos abençoados por isso! E devemos sempre agradecer pelo amor de Deus ter nos alcançado.

Quando estávamos nessa situação (de transição), o que queríamos era acolhimento, amor, felicidade na chegada e compreensão dos que já estavam na Luz. É tão bom, não é mesmo, quando nos sentimos acolhidos, abraçados, amados de verdade por pessoas que acabaram de nos conhecer. É o símbolo de uma família se formando (a família está aceitando mais um membro).

Mas, e quando isso não acontece? Sabe aquela frase “A primeira impressão é a que fica”. Pois bem! Não temos mais vontade de voltar, não é!?

Deus nos deu um grande papel, como Igreja do Senhor: a de ser Sal da Terra e Luz do Mundo, ou seja, de espalhar o amor de Cristo por meio do exemplo.

Mas, será que estamos exercendo o papel que Cristo nos deu? Será que nosso exemplo aproxima as pessoas de Deus ou as afasta?

 

 

Insight 2 – O maior exemplo que Cristo nos deixou

“Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos, que eu vos aliviarei” (Mateus 11:28)

É a Palavra do Senhor que transmite amor: todos aqueles que não veem mais saída, vinde a mim (Cristo) que eu tirarei suas dores, preocupações, angústias e sararei suas feridas.

Isso demonstra que Cristo é a Enfermaria da nossa alma, a Enfermaria para a alma cansada. Podemos encontrar refúgio e refrigério Nele!

Essa Palavra é muito atraente (no bom sentido)! Todos precisamos ser sarados em determinados momentos.

E esse alívio nos dá forças para continuar na caminhada.

Você percebe que a mensagem de Cristo, não só aqui mas em toda Bíblia, é só amor? A base da Palavra é amor. Inclusive ele resumiu os 10 mandamentos em 2, não que os demais fossem desnecessários e muito menos Ele os anulou. Ele quis dizer que a base de tudo era Amor:

“Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. (Lucas 10:27)

Enquanto Ele estava aqui na Terra pôde mostrar aos seus discípulos como agir, como amar, o que era cada coisa. Eles tiveram o privilégio de aprender ao vivo com o Mestre!

Mas, nós não! A nós Ele deixou a Palavra de Deus, para Meditação e Ação! Ele não está fisicamente conosco nos mostrando onde erramos, onde acertamos, mas Seu Espírito está conosco e os seus ensinamentos também.

E isso quer dizer que devemos continuar propagando o Amor que Ele ensinou há 2000 e tantos anos atrás. Nós temos que ser amor, assim como Ele foi e é amor!

Seus discípulos, por exemplo, foram transformados pelo Poder do Seu amor. Pedro, um deles, que tinha uma fé emocional, passou a ter uma fé inabalável, a ponto de pedir para ser crucificado de cabeça para baixo, por não se sentir digno de morrer como o Mestre.

O maior exemplo que Cristo nos deixou foi amar. Mas, e nós? Temos transbordado amor? Ou temos sido como os fariseus que estavam prontos para atirar a pedra na mulher adúltera?

receba-primeiro

 

Insight 3 – A mulher adúltera e a manifestação do amor

a-mulher-adultera

Aliás, vamos pensar nisso: O que você teria feito se estivesse no lugar de Jesus naquele dia, em que os fariseus apresentaram a mulher adúltera a Ele?

Será que você a teria perdoado? Ou teria corroborado com a opinião deles?

Vamos analisar os dois lados:

Na lei de Moisés, quem adulterava teria que morrer apedrejado perante as pessoas. Então, os fariseus estavam apenas cumprindo a lei de Moisés.

Jesus Cristo veio ao mundo para renovar, resumir a lei (eu estou contando com minhas palavras, você pode consultar na Bíblia essas passagens, entendê-las melhor e interpretá-las do seu jeito). Eu acredito que, mais do que isso, Ele veio para simplificar e para lembrar as pessoas de algo do qual tinham se esquecido, para mostrar que esse algo é maior do que qualquer outra coisa: O Amor.

Então, enquanto a lei dizia “mate-a” Jesus disse “quem não tem pecado, que atire a primeira pedra”.

Com certeza a mulher nasceu de novo nesse dia (em todos os aspectos). O amor que Jesus demonstrou, foi uma incrível manifestação de amor pela alma daquela mulher!

E eu chamo a sua [e a minha] atenção para os aspectos humanos manifestados por Ele, em todas as suas ações.

Mais do que uma pessoa que cometeu um erro, ela era uma alma que precisava de perdão e de redenção.

O que podemos aprender com esse caso é que todos nós somos pecadores. Todos nós falhamos. Podemos não falhar com ela falhou, mas falhamos…

Em pensamentos, em atitudes, interna ou externamente…falhamos.

“Aquele que diz que não tem pecado, já está pecando”. (I João 1:8 e 10)

É da natureza humana falhar e, sabendo disso, devemos tratar a todos de forma igual. Porque, hoje o teto de vidro do vizinho pode estar quebrado [e eu aponto o dedo para falar: “Nossa, você viu!? O teto dele se quebrou!”]. Mas o meu [e o seu] também é de vidro. Você percebeu isso?

“O que está de pé, cuide para que não caia” (I Coríntios 10:12)

 

Insight 4 – Quando o lugar passa de Enfermaria para Julgatório

Você já entendeu, então, que a Casa do Senhor é Enfermaria. E que o papel que Cristo nos deu é anunciar que há um lugar onde as almas aflitas, doloridas e cansadas podem se achegar para se aliviar.

Vamos parar para pensar no ato de anunciar?

Eu só anuncio algo no qual acredito. E essa anunciação só será verdadeira se eu vivê-la. Quando eu vivo o que digo as palavras são “meras” confirmações de quem eu sou. Por que meu exemplo fala mais forte, meus olhos brilham, meus passos demonstram e meu jeito de falar denuncia por si só, antes mesmo que eu pronuncie algo.

Anunciar o Evangelho foi o papel que Jesus nos deixou:

“e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda Judéia e Samaria, e até os confins da terra” (Atos dos Apóstolos 1:8)

E Paulo nos lembra em 2 Coríntios 3:2 que:

Vós mesmos sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos.

Ou seja, nosso exemplo (quer seja bom ou mal) já fala por si. Antes de anunciar, pense se você tem exercido o papel que Cristo nos deu. Mas saiba que Deus é bom para perdoar e nos ajudar a cumprir seu querer!

Mas, vamos voltar: quando a Enfermaria passa a ser Julgatório?

Lembra do que falei no começo, que nós gostamos de ser bem acolhidos? Isso é Enfermaria: acolher bem. Claro que é a Palavra de Deus que cura

Porquanto a Palavra de Deus é viva e eficaz, mais cortante que qualquer espada de dois gumes; capaz de penetrar até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é sensível para perceber os pensamentos e intenções do coração. (Hebreus 4:12)

E, continuando nessa comparação, nós somos os enfermeiros e médicos que auxilia o Médico dos médicos no processo de cura. Sem auxiliares, o médico não consegue fazer uma cirurgia, pois ele tem que manter total atenção no paciente. Nós somos quem dá o bisturi, as gases e a linha com agulha ao médico, para ele fechar a ferida.

Olha quão grande é o papel que Cristo nos deu! E só quem está comprometido a ajudar e quem sente a dor do outro que consegue fazer isso com amor. Caso contrário, acontecem erros absurdos e até fatais (é só pensar, por exemplo, em casos de operação errada, esquecimento de objetos dentro do paciente etc).

Não que Deus erre. Ele nunca erra! Mas nós somos também responsáveis pelo bom andamento da obra, pois somos Seu representante na Terra.

Certo dia, ouvindo a palavra do pastor Juanribe Pagliarin, ele disse algo que me abriu os olhos com relação a isso: “Por que Deus precisa das pessoas? Ele poderia muito bem salvar a todos num piscar de olhos! Porém, Deus é Espírito, e, por isso, Ele precisa habitar em alguém para poder operar. Ele precisa usar alguém para fazer sua obra.”. E é exatamente isso!

Quando deixamos de prestar atenção nos maiores mandamentos (amar a Deus e amar ao próximo como a ti mesmo), e quando esquecemos que somos frágeis e passíveis de pecar (como qualquer outra pessoa)  acabamos deixando prevalecer nosso eu e isso faz com que a Enfermaria vire Julgatório.

Começamos a comparar nossas ações de “verdadeiros cristãos” com a de outras pessoas e nos sentimos no direito de julgar, de apontar o dedo e dizer “se eu faço você tem que fazer (ou o contrário)”. Deus acaba sendo diminuído em nós, (percebe!?) porque não estou exercendo o papel que Cristo nos deu (o Amor de Deus), mas estou pregando (inconscientemente) o meu eu. E isso não anuncia outra coisa a não ser meu ego.

Nos sentimos no direito de apontar para todos, inclusive para os de dentro. Começamos a ficar rixosos e cheios de direito e de razão. Insuflamos o peito para nos justificar, mas não temos coragem de justificar o irmão, ou de dar nossa mão para ajudar a quem caiu (aliás, ficamos com a pedra na mão esperando alguém cair para jogar nele).

Parece forte demais? Mas pare para pensar se você tem feito isso… Como eu disse, somos todos humanos e falhos. E Deus é Poderoso para nos perdoar e nos fazer nascer de novo (todos os dias).

 

Insight 5 – Um dos papéis mais desafiadores: Amar nossos inimigos

amar-nossos-inimigos

Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos (Mateus 5:44)

Se por vezes não conseguimos nem amar aos que nos amam (e nem a nós mesmos), quanto mais amar nossos inimigos?

E talvez você pense: “mas eu não tenho inimigos!”. Quem são nossos inimigos, já parou para pensar?

Eu acho essa palavra bem forte, porém inimigo são aqueles com quem não conseguimos lidar, são aqueles que “o santo não bateu” ou que, por qualquer motivo (ou até sem motivo), sentimos repulsa deles (minha interpretação).

Temos que ser sinceros: sentimos isso, sim! Todos nós. E por que Cristo nos deu essa missão tão difícil?

Para nós termos bem claro que, acima de tudo, o papel que Cristo nos deu deve imperar! Quando olhamos para alguém por quem (por algum motivo ou sem motivo) não nos simpatizamos, logo nosso eu julgador surge e começa a apontar na pessoa o que ela não tem (ou o que falta nela, sob nossa ótica).

E o papel que Cristo nos deu serve para sempre nos lembrar que quem deve prevalecer é Ele e não nós. Porque nosso orgulho nos afasta do amor puro e verdadeiro, o que Jesus nos ensinou a manifestar.

Confesso que eu estou pedindo a Deus para me ajudar nessa! E sempre iremos nos deparar com atitudes nossas que, depois de analisarmos, veremos que não conseguimos manifestar o amor. E, como eu falei, Deus é bom para nos perdoar e nos ajudar.

Mas, não esqueça de pedir claramente isso a Deus!

 

Conclusão

Por que a Casa de Deus é Enfermaria? Porque enfermaria é lugar de cura, de acolhimento e de renovação. Se as pessoas não forem acolhidas com o devido cuidado e atenção, os problemas podem até piorar.

Todos precisamos disso: acolhimento, carinho, atenção, compreensão, cuidado; pois somos, todos, pecadores e estamos sujeitos a errar (todos os dias).

E como Cartas Abertas, Luz do Mundo, Sal da Terra e Exemplos da mensagem da Cruz, devemos observar, cotidianamente, se estamos cumprindo o papel que Cristo nos deu (manifestar Seu Amor) ou se nosso eu julgador está prevalecendo.

Assim como uma pessoa precisa hoje, amanhã poderemos precisar e essa consciência e rede de ajuda é que tem que estar sempre acesa e presente em nossa vida e memória!

“Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união”. (Salmos 133:1)

Deixemos de lado o que ofusca o Amor de Deus de resplandecer em nós e abramos nossos corações para a livre e intensa manifestação Dele! Que estejamos dispostos a cumprir o papel que Cristo nos deu e a lutar pelo Evangelho de Luz e de Amor!

Um grande abraço.

cadastre-se


Imagens: Pixabay

%d blogueiros gostam disto: